Os murais da Divina Comédia narram o poema épico de Dante Alighieri e ilustram a viagem do poeta pelo Inferno, Purgatório e Paraíso. Neles estão representados os principais personagens dessa história. 

São três painéis cobrindo mais de oitenta metros quadrados das paredes do corredor principal do edifício Leonardo Da Vinci do colégio Dante Alighieri em São Paulo, o que faz dessa obra, uma das maiores no gênero e uma das maiores Divinas Comédias pintadas do mundo.

A ideia nasceu há muito tempo, quando o colégio completava oitenta e cinco anos, e por duas vezes não aconteceu. Somente no ano do centenário que o projeto se realizou e o primeiro dos três murais foi pintado. 

Interpretar uma obra dessas proporções é tudo o que um artista pode desejar e entrar na obra e imaginar os lugares criados por Dante foi fascinante. Visualizar esses lugares talvez tenha sido o mais fácil de todo o processo, uma vez que a Comédia é uma obra imagética, e as descrições dos lugaressão muito ricas e precisas.

Por se tratar de uma escola oaspecto didáticofoi levado em consideração o que muito contribuiu para a construção da composição das diversas cenas no sentido de torna-las de fácil entendimento para as crianças, que puderam acompanha-lasdesde o nascimento.

 

Técnica – Processo de criação     

A técnica utilizada foi o óleo, o que me permitiu manter a obra em aberto por mais tempo e assim poder elaborar um pouco mais cada detalhe. 

As paredes receberam camadas de argamassas especiais e antes de começar a pintura propriamente dita, estruturei geometricamente o espaço pictórico. Essa estrutura me ajudou a construir minha composição. Dividi o espaço com linhas que chamo de “Linhas Mestras”, como os meios, as diagonais, medidas áureas e assim fui elaborando o esboço inicial dos personagens. Quando tudo pareceu estar no lugar, comecei a pintar. 

Meu processo de criação acontece no fazer. Parto de um projeto inicial que não traz detalhe algum, apenas serve como referência e ponto de partida para a composição. Ao longo do processo ospersonagens vão ganhando mais e mais detalhes e à medida que vou enxergando mais claramente vou dando camadas cada vez mais delicadas de acabamento. Usei duas técnicas na fatura dos murais, o empaste que é uma abordagem mais direta das cores, luzes, massas e volumes, e a partir de determinado momento aplico camadas de veladura, que são películas de cor transparentes que “velam” as camadas anteriores e dão mais contraste e intensidade de cor às figuras.

Canato pintura murais paineis capelas quadros