Making Of do Mural Dom Quixote

Mostrar Mais

Técnica – Processo de criação 

    

A técnica utilizada foi o óleo, o que me permite manter a obra em aberto por mais tempo e assim poder elaborar mais os acabamentos. 

As paredes receberam camadas de argamassa especial (gesso acrílico) e antes de começar a pintura propriamente dita, estruturei geometricamente o espaço pictórico. Essa estrutura me ajudou a construir minha composição. Dividi o espaço com linhas que chamo de “Linhas Mestras”, como os meios, as diagonais, medidas áureas e assim fui elaborando o esboço inicial dos personagens. Quando tudo pareceu estar no lugar, comecei a pintar. 

Meu processo de criação acontece no fazer. Parto de um projeto inicial que não traz detalhe algum, apenas serve como referência e ponto de partida para a composição. Ao longo do processo os personagens vão ganhando mais e mais detalhes e à medida que vou enxergando mais claramente vou dando camadas cada vez mais delicadas de acabamento. Usei duas técnicas na fatura dos murais, o empaste que é uma abordagem mais direta das cores, luzes, massas e volumes, e a partir de determinado momento aplico camadas de velatura, que são películas de cor, transparentes, que “velam” as camadas anteriores e dão mais contraste e intensidade de cor às figuras. 

detalhe_quixote_1_p.jpg

Dom Quixote

Canato pintura murais paineis capelas quadros